Rules for whom don't think

RULES FOR WHO DON'T THINK: IF YOU DON'T LIKE WHAT I HAVE WRITTEN HERE: DON'T COME YOU HERE! EASY LIKE THIS!

Monday, October 08, 2007

O Sheikh Zayed

Alguns povos tiveram líderes como governantes. Outros povos! Não o nosso povo.

Nascido por volta de 1918. O Sheikh Zayed é o mais jovem dos quatro filhos do Sheikh Sultan Bin Zayed, fundador de Abu Dhabi. Quando o Sheikh Zayed nasceu, Abu Dhabi era um emirado pobre e não desenvolvido, como os outros emirados. A economia dependia basicamente da pesca, da caça de pérolas e da agricultura primitiva. A vida, inclusive para a família real, era simples. A educação se limitava a ensinar a ler e escrever e aos ensinamentos da religião islâmica. O transporte era o camelo ou o barco.

O clima árido e cruel significava que a maior preocupação era a sobrevivência.

Nos anos vinte e trinta, começou a despertar a curiosidade de Sheikh Zayed pelo conhecimento, e iniciou suas viagens pelo deserto aprendendo sobre a vida das pessoas e o meio ambiente. Em suas viagens pelo deserto, o Sheikh Zayed começou a compreender a importância do meio ambiente e a necessidade de assegurar o seu uso sustentável, abandonou o uso da arma na caça, consciente de que seu uso poderia levar a extinção da vida selvagem. Suas viagens às áreas distantes em Abu Dhabi, ajudaram-no a obter uma profunda compreensão de seu povo e pais.

No começo de 1930, quando os primeiros grupos de companhias de petróleo chegaram a concluir uma pesquisa geológica preliminar, era o Sheikh Zayed o encarregado de guiar-lhes pelo deserto. Ele executou bem sua tarefa, e em 1946, aparentava ser a escolha certa para preencher o cargo de governante no oásis de Al Ain, que na época era um agrupamento de aldeias pequenas, e hoje em dia, é uma cidade próspera.

O cargo de fundador não só envolvia à tarefa de administrar a cidade, como também toda a região vizinha, dando-lhe a oportunidade de aprender as técnicas de governabilidade, e experiências políticas em um plano mais amplo.

Uma tarefa fundamental era o próprio Al Ain em desenvolvimento, onde ele garantiu a construção de novos canais de água subterrâneos, ajudando dessa maneira a estimular a agricultura na área. Iniciou um programa de combate a desertificação e arborização que tornou a cidade de Al Ain em uma das cidades mais verdes da península Arábica.

Em 1953, acompanhando seu irmão, Sheikh Zayed fez sua primeira visita a Inglaterra e a França, e ficou impressionado com as escolas e hospitais e com o desenvolvimento naqueles países. Posteriormente decidiu que seu próprio povo tinha que ter o mesmo tipo de beneficios com instalações semelhantes. ‘Eu tinha muitos sonhos. Sonhava que o nosso pais alcançava o mundo moderno, mas eu não podia fazer nada porque não tinha meios disponíveis para realizar tais sonhos. Porém eu tinha a certeza de que um dia estes sonhos se tornariam realidade”. Contudo, até mesmo faltando recursos, e durante os vinte anos que passou em Al Ain, Sheikh Zayed conseguiu com que o desenvolvimento chegasse muito mais rápido do que qualquer um teria previsto.

A pouco mais de trinta anos, com a descoberta de petróleo, e quando as rendas da exportação de petróleo proporcionaram a possibilidade de desenvolvimento para o emirado como um todo, Sheikh Zayed era a escolha obvia para a família Al Nahyan, governadores de Abu Dhabi há 250 anos, para enfrentar os desafios que viriam mais adiante. Ele tinha muita pressa, com os rendimentos crescendo, estava determinado a utilizá-los em beneficio de seu povo, elaborando programas de construção de estradas, escolas e hospitais. Ao consentir em tomar posse em 1966, começou a trabalhar incessantemente para formar a Federação entre os sete emirados, para realizar tal objetivo. “Federação é um modo para se dar poder, força, bem-estar, é uma reputação privilegiada, é assim que os países menores entram para a historia”.

Sem duvida, a experiência da federação tem sido um sucesso e a chave para as conquistas dos EAU, foi o papel central assumido pelo Sheikh Zayed.

Durante seu governo em Al Ain, ele foi capaz de desenvolver uma visão de como o país deveria desenvolver-se, e desde que se tornou fundador de Abu Dhabi - e depois presidente dos Emirados Árabes Unidos - dedicou três décadas e meio para transformar esta visão em realidade.

Um dos princípios da sua filosofia como líder e fundador é que os recursos do país devem ser totalmente usados em beneficio do povo. Os Emirados Árabes Unidos tiveram a sorte de serem abençoados com missivas reservas de petróleo e gás natural, e através do uso cuidadoso e sábio dessas reservas, os recursos financeiros necessários para a realização dos programas de desenvolvimento têm sido sempre viáveis. O Sheikh Zayed sempre considerou os recursos financeiros como instrumento para facilitar o desenvolvimento o que ele acredita ser a verdadeira riqueza do país e o povo, e, em particular, a nova geração.

O Sheikh Zayed diz: “ A riqueza não é o dinheiro. A riqueza depende dos homens, e é ai onde se encontra o verdadeiro poder que valorizamos. É o que nos convenceu a direcionar todos nossos recursos para a formação dos indivíduos e usar essa riqueza que Deus nos deu – para servir a nação para crescer e progredir. Se a riqueza não for usada com conhecimento e sabedoria para planeja-la, e se não houver intelectuais conscientes para direcioná-la, estará destinada a desaparecer. A maior utilização que poderá ser feita dessa riqueza é investi-la na criação de uma geração de pessoas formadas e treinadas”.

O Sheikh Zayed acredita que todos os cidadãos do país têm um papel a desempenhar para o seu desenvolvimento

A história é uma cadeia continua de acontecimentos. O presente nada mais é que extensão do passado, e quem não conhece seu passado não conseguirá fazer o melhor para seu presente e futuro, porque nos aprendemos do passado, adquirimos a expediência e tiramos proveito das lições e resultados do passado e logo adotamos o que melhor combina com as nossas necessidades atuais, ao mesmo tempo que evitamos os erros que nossos pais e ancestrais cometeram. A nova geração deveria ter consideração ao papel desempenhado por seus ancestrais e seguir seu exemplo e ideal, paciência, persistência e dedicação.

Do site do Consulado dos Emirados Arábes.

No comments: