Rules for whom don't think

RULES FOR WHO DON'T THINK: IF YOU DON'T LIKE WHAT I HAVE WRITTEN HERE: DON'T COME YOU HERE! EASY LIKE THIS!

Tuesday, June 03, 2008

Falando da mudança na Ortografia da Língua Portuguesa...


Tem um fato, que se não fosse vergonhoso, seria cômico nesta história. Porque na verdade o Brasil havia assinado o acordo de reforma em 1990 (veja: de reforma no seu Português) e tinha como cláusula constante no mesmo, (absurda até eu diria) que aquele que assinasse teria o mesmo já o estar cumprindo todas as alterações Oficiais na data em que previa a sua entrada em vigor em 01 de Janeiro de 1994.

Só que o Brasil se esqueceu disto...e no ano de 1995 apresentou documento oficial a uma certa embaixada (que vou omitir a identificação por hora) sem nenhuma das atualizações que havia assumido em acordo.
Indiferente de dos outros países-irmãos Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe ou Timor-Leste, qualquer um deles que assinasse, tinha que ter começado suas reformas.

Então após a delicada correção de uma das embaixadas de língua irmã, o Brasil se deu conta de que já haviam licitado os livros didáticos pelos os próximos 05 anos escolares, sem fazer as atualizações que havia se comprometido - ou seja, até fim de 1999 estava acometido ao erro ortográfico, inclusive em materiais didáticos e ainda tinha emitido documentos para aceitação Internacional (também em Português) para validade até 2004 e não estava sob nenhum ponto de vista, preparado para assumir o que havia assinado... Assim como não tinha atualizado nada mesmo - no tempo que se tinha, nem dava e esta "tal" embaixada - recusou a receber o documento argumentando que o mesmo não estava de acordo com a Língua Oficial do Brasil ou que continha muitos erros ortográficos, já que não estava com a atualização assumida pelo o Brasil, e considerando que nenhuma reforma interna havia sido feita de fato por completo...assim e para não ficar pior (se é que dava) retrocedeu-se ao Acordo de 1943.



Ai ai ai...tá ficando grande, mas ainda tem mais, pois mesmo depois disto, o Brasil assinou em julho de 2004 um "Segundo Protocolo Modificativo ao Acordo Ortográfico" que, modificava a exigência de que todos os países ratificassem fosse suficiente que três membros da CPLP Comunidade dos Países de Língua Portuguesa ratificassem o Acordo Ortográfico para que este entrasse em vigor nesses países. Ou seja, mesmo que os outros jamais assinassem, bastasse três ratificassem e o acordo estaria valendo para as reformas nestes países.
Então...estava este acordo parecendo algo recente não é...? Mas o povo anda dando "canetada " por ai faz um tempinho. Só que "canetar" é fácil...manter-se atualizado, ai "mermão" ai de nós.

Nota a parte:
Esta idéia do acordo de 1990, teve maior apoio por parte do Brasil, quando em 1985 o ainda Presidente José Sarney (como de praxe, desde 1942, Presidentes Brasileiros em seu primeiro ano de governo, abrem a maratona de discursos da ONU) teve seu discurso publicado em várias línguas: Árabe, Chinês, Espanhol, Inglês e Russo (além do Francês que era o oficial pelo acordado) menos no Português e o então Presidente foi atrás das explicações e justamente era: Em qual Português?

Ou seja, desde então, assinar, se comprometer e tal...foram muitas vezes.
Sorte nossa (se pudermos assim o dizer) em comparação aos demais países, nossas reformas necessárias na ortografia é a menor.

- A questão é que há ainda muito mais coisa para ser feita...e se Brasil não correr atrás das reformas atualizando seu material didático e nos vários documentos de validação Nacional, vamos ter uma bela confusão pela a frente. E olha que corremos o risco de mesmo os Países Africanos - Lusos- que precisarão fazer muito mais reformas em seus Português, darem conta antes, enquanto ficamos aqui esperando pelo o próximo passo. Por isto, quando vejo o quanto Portugal relutou antes de assinar o acordo, mas por outro lado fez reformas internas em seus documentos oficiais, eu seguro minha língua e fico na torcida para que desta vez, não estejamos nós, o Brasil, fazendo um tratado num estilo que usamos muito "só para Inglês ver".

No comments: